senhora com celular par aidoso sentada em banco da praça

Celular para idoso: como o aparelho pode ser útil na terceira idade?

Celular é coisa para jovem. Ou não. Celular para idoso tem ganhado espaço cada vez mais interessante no dia a dia das pessoas que já chegaram à certa idade.

Todo produto busca determinado público alvo no mercado em geral e, depois, no mercado a que se destina. Essa ideia é profundamente natural. Tão natural que a primeira questão que se levanta quando se idealiza um produto é “para quem?”.

Ou, ainda, “quem usaria isso?” Por isso, é certo que dispositivos móveis estão muito mais nas mãos de jovens que nas de idosos. Mas celular para idoso já é realidade no mundo inteiro.

Contudo, muito antes de alguma empresa se prontificar a produzir celular para idoso, essa camada de consumidor já buscava alternativas. Aliás, esse foi um dos motivos que despertaram interesse por parte de fabricantes. Nesse caso, diz-se que o próprio mercado “se arreganhou” para os fornecedores.

Se você chegou à terceira idade ou tem alguém na família nessa faixa etária, certamente tem algumas perguntas a serem fazer e, certamente a gente tem as respostas para essas perguntas ao longo deste artigo. Acompanhe.

Celular para idoso: conceito geral

senhora mexendo em celular para idoso
Um celular para idoso deve conter características que facilitam o seu uso.

Como a gente comentou acima, os celulares são muito mais aderentes à camada jovem das sociedades. E, claro, isso não foi forçado. Ou seja, os fabricantes não “se esqueceram” dos idosos quando os primeiros dispositivos móveis foram pensados e produzidos.

Acontece que o próprio perfil do produto tem características mais joviais;

  • Dinamismo
  • Mobilidade
  • Interatividade
  • Ostentação
  • Autoexposição
  • Curiosidade
  • Praticidade
  • Versatilidade

Dentre outras tantas. Por outro lado, isso não significa que idosos não assumam essas condições. Muitos deles podem ser considerados ainda mais joviais que muitos adolescentes. O que acontece é que tais características são mais presentes na juventude.

Dessa maneira, o dispositivo móvel se adaptou muito mais ao jeitão dos jovens que ao dos idosos. Contudo, a abrangência da eficiência e da utilidade os smartphones foi tão evidente e marcante que, claro, atingiu a rotina das pessoas da terceira idade.

Daí haver necessidade de se produzir celular para idosos.

Interessante: é certo que um dos problemas mais evidentes na relação idoso-celular é a operacionalidade. Afinal, a geração atual parece já nascer com um “iconezinho” no cérebro que, uma vez acionado, a faz compreender como operar um celular. Porém, o pessoal da terceira idade é vítima da sensação de complexidade. Por outro lado, para se ter ideia de como o mercado de celular para idoso cresceu, já existem aplicativos de uso simples que “facilitam o uso de aplicativos” e do celular em si.

Celular para idoso e o espaço conquistado

É natural que a população com menos idade ainda seja o alvo predileto dos fabricantes de dispositivos móveis. E isso não se dá apenas por questão de acomodação de tendência de mercado, mas igualmente porque há mais jovens no mundo que idosos.

Contudo, as últimas estatísticas mostram que esse quadro está mudando. Se nada em contrário acontecer, haverá tantos idosos quanto jovens nas próximas décadas, pois a população mundial está envelhecendo (que o digam as brigas políticas atuais por conta do novo sistema de aposentadoria no Brasil!).

Por conta disso, os fabricantes estão cada vez mais atentos ao mercado para terceira idade. Por outro lado, a paralelo ao crescimento da quantidade de idosos no mundo, existe ainda outro dado que alimenta as expectativas desses mesmos fabricantes: aumento do ingresso de idosos no mundo digital.

Um estudo recente (estamos em fins de 2019) do Pew Research Center identificou que por volta de 85% de os idosos com 65 anos ou mais mantêm um aparelho móvel por perto. Ainda: mais da metade desses idosos tem smartphone e não celulares normais.

Posto que as notícias de alastram como rastilho de pólvora, os idosos mais conservadores vão se deixando levar “pela onda”. Afinal, quando veem seus contemporâneos usando celular para idoso, querem também passar pela mesma experiência.

Celular para idoso e a importância da avaliação

senhor de idade olhando a tela do celular para idoso
É importante saber avaliar os recursos presentes em um celular para idoso.

Pesquisa informal que a gente fez entre nossos leitores mostrou um fator bem interessante. E legal. Usuários com idade mais avançada são tão ansiosos por seu primeiro smartphone quanto os jovens. Essa percepção tem grande valia no contexto deste capítulo neste artigo.

Via de regra, os jovens saem comprando seus celulares por conta da cor, da marca, do formato etc. Assim, ignoram fatores importantes que, claramente, aumentariam o sabor da experiência do uso de seus aparelhos.

É possível que esteja ocorrendo o mesmo caso com celular para idoso. Na ânsia de ter um aparelho, esquecem de avaliar coerentemente suas características em relação a suas necessidades pessoais.

Pensando nisso, a gente mostra abaixo algumas perguntas que o consumidor precisa fazer antes de comprar o celular para idoso. Assim, identifique qual é a maior dificuldade no uso de um aparelho comum.

Digitação no celular para idoso

Se você gosta de trocar mensagens de textos, é possível que tenha alguma dificuldade para digitar no teclado de celular comum. Assim, o celular para idoso precisa apresentar bom espaço entre as teclas. Além disso, também deve ter teclas maiores no conhecido formato QWERTY.

Contudo, a ferramenta “digitação por voz” facilita ainda mais a vida do idoso que gosta de ver a mensagem escrita e não apenas falada. Muitos deles querem rever conversas mais ou menos antigas e o áudio não permite essa operação. Ou, no mínimo, dificulta.

Nesse caso, convém instalar aplicativos de digitação por voz. Alguns deles detêm função de aumento de sensibilidade auditiva para que o texto seja o mais fiel possível.

Audição

Se o maior entrave for a capacidade auditiva, então o ideal é que o celular para idoso disponha de excelente sistema de áudio.

Visão

Já em relação à visualização de imagens e de textos, a tela do dispositivo ganha importância crucial. Analise os modelos com essa característica. Elas precisam ter poder de alta definição para que os contornos ganhem relevância.
Além disso, há aplicativos que usam a câmera como lupa. Assim, o idoso foca um objeto ou texto físico e os visualiza mais facilmente.

Segurança

É possível que você esteja interessado num celular para idoso porque seus pais ou avós moram sozinhos. Ou têm quarto separado. Ainda, podem passar o dia inteiro sem companhia porque a família toda trabalha fora. Nesse caso, contemple aparelhos que disponham de tecla de chamada rápida ou de aplicativo de monitoramento.

Ações mnemônicas

Como se sabe e como a gente já mencionou neste artigo, esquecimento é fato comum na vida dos idosos. Aliás, um aparte: com a vida agitada e com tantos recursos de atividade e entretenimento da atualidade, esquecimento é fato comum até mesmo na vida dos mais jovens.

Assim, se for esse o caso do idoso de sua família – ou seja, constante esquecimento – um celular para idoso com recurso de rastreabilidade pode minimizar os problemas. Não exatamente resolver, mas minimizar, pelo menos no que diz respeito a perda de objetivo.

Via de regra, idosos deixam utensílios pessoais – como óculos, chave de armários etc. – em algum lugar e depois não se lembram onde estão. Portanto, um celular para idoso com capacidade de rastreamento digital de objetos pessoais é o mais ideal.

Celular para idoso e os motivos para ter um

senhor de idade falando em celular para idoso.
Se você tem uma idade avançada, há vários motivos para adquirir um celular para idoso.

Acima, você viu alguns requisitos que o celular para idoso deve apresentar, se não todos, pelo menos o principal. E por “principal” entende-se aquela função que vai atender especificamente uma necessidade do usuário.

Contudo, pode ser que indivíduo que já chegou à terceira idade queira um celular para idoso por razões diversas menos prioritárias. E não necessidades. Nem por isso, aliás, deixam de ser importantes.

Veja alguns motivos para o idoso de sua família tenha um celular para especial.

Entretenimento

Talvez você queira um celular para idoso para trocar vídeos com filhos e netos. Assim, a câmera é a ferramenta que precisa de boa potência.

Mas, veja, esquecimento é ocorrência comum nessa faixa de idade. Então, o uso de agendas inseridas nas ferramentas do celular para idoso vai informar ao idoso quando aquele programa ou filme favorito vai passar na TV.

Por outro lado, a indústria de celular para idoso tem evoluído muito, como a gente já deixou evidente neste artigo. Uma das provas mais claras dessa evolução se apresenta em produtos virtuais específicos para essa faixa etária.

No mercado, já há jogos que agradam mais a idosos que jovens. Bingo, xadrez, snooker etc. são alguns já disponíveis que atendem perfeitamente às expectativas.

Além disso, para aqueles idosos mais acadêmicos, há aplicativos que facilitam muito leitura de e-books. Contêm lente de aumento, busca de trechos, acesso a informações sobre a edição etc.

Saúde Física

A tecnologia voltada à saúde se desenvolveu a olhos vistos nos últimos anos. Quando associada a sistemas virtuais, a eficiência aumenta sobremaneira. Hoje, há aparelhos de monitoramento de pressão arterial a distância; de índice de glicose, entre outros.

O celular para idoso detém aplicativos que auxiliam muito nesses casos. Contudo, a utilidade do celular para idoso não para aí. O ajuste da agenda eletrônica vai disparar alarmes especiais para que o idoso se lembre de ministrar algum remédio importante.

Recente, um Watch Apple identificou problemas cardíacos num idoso nos EUA e disparou alarme no hospital mais próximo. A ambulância chegou em tempo hábil para salvar o cidadão.

Saúde psicológica

A própria mecânica da vida leva, via de regra, o idoso à solidão. Nem sempre isso se dá por desleixo familiar. A esmagadora maioria das vezes aponta que os familiares precisam trabalhar para justamente manter certo conforto para seus “velhos”. Portanto, precisam se ausentar.

Nesse caso, o celular para idoso vai ajudar muito para fazer que se sinta integrado. Afinal, mensagens de áudio, videochamadas, mensagens de texto etc. são excelente maneira de contato. Assim, o idoso se mantém informado, vivo, participativo.

Por outro lado, ainda que o idoso tenha companhia diária, ele necessita manter o cérebro em atividade constante para aumentar o nível de saúde mental. Nesse contexto, há uma infinidade de aplicativos construídos com vistas exclusivas à manutenção das condições cognitivas do idoso.

Exercícios

Muitos idosos ainda mantêm certo nível de atividade física. Assim, se movimentam, fazem ioga, praticam pilates etc. E caminham. É justamente no ato de caminhar que o celular para idoso é quase imprescindível.

Ajustado ao GPS, o aparelho oferece caminhos mais seguros, evitando assim percalços estruturais das vias públicas. Além disso, posto que eventos de lapsos de memória não são raros nessa idade, o sistema de geolocalização pode ser o limite entre uma tragédia e momentos de lazer.

Conforto

Atualmente, faz-se tudo pelo celular. Encomenda-se comida, transfere-se dinheiro, pagam-se contas, arrumam-se parceiros, contratam-se profissionais, estuda-se etc. E isso está disponível para quem, diga-se de passagem, não precisa tanto dessa comodidade toda.

O celular para idoso é um prato cheio, cai como perfeita luva para quem perdeu um pouco da mobilidade, para quem já não tem tanta energia para ir até a padaria da esquina a qualquer hora etc.

Mas digamos que o usuário do celular para idoso já tenha alguma familiaridade com smartphones. Ou seja, a “coisa como um todo” já não é um bicho de 14 cabeças para ele – sim… de 14 e não de 7, dada a complexidade que algumas ferramentas apresentam inclusive para alguns jovens.

Nesse caso – ou seja, no de o usuário já ter prática com smartphones -, pode até mesmo se beneficiar da chamada “Internet das Coisas” (IoT em inglês). Assim, com celular para idoso, vai poder controlar iluminação do lar, operar a TV e sistemas de som, trancar e destrancar portas, fazer uma chamada de urgência etc.

Aplicativo para celular para idoso

Veja alguns aplicativos que facilitam muito a vida da pessoas que alcançaram a terceira idade.

  • CPqD Alcance: Funciona como lente de aumento para melhor leitura de textos
  • BP Watch: Aplicativo voltado a monitoramento da saúde física. Acompanha pressão arterial, peso e pulso. Além disso, também apresenta dados sobre o Índice de Massa Corporal – IMC
  • Easy Idoso: em verdade, trata-se de um verdadeiro índice de indicação de serviços para idosos. Informações sobre centros de saúde, clubes para terceira idade, centros de melhoria de aparência, eventos pertinentes à idade etc.

Então é isso. O celular para idoso deixa de ser simples questão consumismo. Em muitos casos, é instrumento essencial para manutenção da saúde física e mental. Assim, a gente gostaria de saber se você, leitora ou leitor, já tiveram experiência com esse aparelho. Registre isso na área de comentários logo abaixo.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.