Marca de celular Google

marca de celular google

Apesar de toda especulação de mercado, não existe ainda uma marca de celular Google. Ou seja, a gigante americana ainda não conseguiu criar um modelo de smartphone que possa chamar de seu. E olhe que “especulação” não é apenas um termo genérico no mercado de celular.

Esse termo, pelo contrário, pode até mesmo ser considerado “utilitário” nesse nicho. Aliás, até mesmo “estratégia de marketing”. Ou de despistamento. Ou simplesmente especulação mesmo, sem qualquer objetivo claro.

Todavia, no frigir dos ovos, o que se tem é mesmo notícias repassadas com todo cuidado para logo depois serem desmentidas. Ou esquecidas. Isto é, “pensadamente esquecidas”.

Veja abaixo alguns modelos que podem ser associados à marca de celular Google – enfim, podem até levar o logotipo da marca -, mas que não são 100% Google. Por outro lado, o fato é que boa parte dos modelos fabricados sob determinada marca não apresenta dispositivo construído totalmente sob essa marca.

Ou seja, as peças ou funcionalidades são terceirizadas. Porém, no caso da marca de celular Google, o nível de terceirização é monstruoso.

Marca de celular Google

aparelho marca de celular google
A marca de celular Google não chega a ser tão gigante quanto o buscador.

O gigante americano é anão em se tratando de marca própria de celulares. Isto significa que a marca de celular Google continua sendo produzida por parceiros, por fabricantes que, via de regra, são inclusive concorrentes entre si e em relação aos próprios celulares Google.

O fato é que, por ser justamente um gigante, a empresa tem algumas prerrogativas, algumas vantagens, alguma prioridade em relação a suas ideias. Inclusive no momento de apresentar modelos da marca de celular Google.

Google Nexus One

Ele foi anunciado logo no início de 2010. Foi, em verdade, o primeiro dispositivo móvel com a marca de celular Google. E um dos primeiros trabalhando sob o sistema operacional Android., o Android 2.1 Eclair, no caso. A HTC, fabricante taiwanesa, ganhou a concorrência nas tratativas operacionais.

A evolução do modelo chegou até o Android 2.3.6 Gingerbread. “Evolução’, entretanto, não significativa, já que as diferenças foram intensamente mínimas. De qualquer maneira, claro, a configuração nada tem a ver com as unidades atuais da marca. Para se ter uma ideia, o celular tinha uma câmera traseira de 5 megapixels.

A tela de 3,7 polegadas e resolução de 800X480 pixels era inferior ao HD. Suas especificações com processador Snapdragon de 1 GHz, memória RAM de 512 MB e armazenamento de 512 MB foram bem aceitas há uma década.

Marca de celular Google: Nexus S

Foi também em 2010, mas bem no finzinho, que a segunda geração da linha Nexus chegou. Dessa vez, fruto de parceria Google-Samsung. Sua tela era maior que a do modelo anterior, pois detinha 4 polegadas.

Esse modelo se mostrou bem atraente com capacidade de armazenamento de 16 GB e o NFC. Seu processador single core de 1 GHz e memória RAM de 512 MB foram destacáveis à época.

A novidade foi a presença de duas câmeras. A traseira de 5 megapixels e frontal para videoconferências marcaram o modelo. O smartphone recebeu atualizações até o Android 4.1 Jelly Bean.

Google Galaxy Nexus

Esse foi o primeiro celular do Google a ser apresentado no Brasil com o nome de Galaxy X. Chegou em novembro de 2011. A impressão foi que a parceria com a Samsung tinha dado certo.

Avançado para a época, agradou a gregos e troianos com seu processador dual-core e tela de 4,6 polegadas com resolução HD de 1280X720 pixels. O sistema operacional foi Android 4.0 Ice Cream Sandwich e evoluiu até o Android 4.3 Jelly Bean.

Porém, foi o último celular da linha Nexus produzido pela Samsung.

Marca de celular Google: Nexus 4

Então, a LG entrou no capo de visão da marca de celular Google. E produziu esse modelo anunciado em novembro de 2012. Tinha processador quad-core, memória RAM de 2 GB, armazenamento de 16 GB e Android 4.2 Jelly Bean.

O sistema operacional chegou até a versão Android 5.1 Lollipop. A diferença na tela era quase não notada em relação ao modelo acima, pois era 4,7 polegadas. Já as câmeras eram melhores: a traseira e a frontal de 8 e 1,3 megapixels respectivamente.

Google Nexus 5

A LG construiu o segundo celular para a marca de celular Google. Lançou-o em outubro de 2013. A ficha técnica informava que o processador Snapdragon 800 quad-core com velocidade de até 2,3 GHz e a memória RAM de 2 GB estavam presentes.

A capacidade de armazenamento de 16 GB e 32 GB também era boa expectativa. A tela de 5 polegadas recebeu melhorias com resolução Full HD. O sistema operacional Android 4.4 Kit Kat era item de fábrica.

Marca de celular Google: Nexus 6

A Motorola também quis ser testada pela marca de celular Google. Bem, era o que parecia, já que a empresa americana trocava de parceria constantemente. Mas esse modelo não conheceu solos brasileiros. Foi anunciado em novembro de 2014, mas apenas nos Estados Unidos.

Tinha design similar ao MotoX2014. O sistema operacional era o Android 5 Lollipop. A tela era bem maior que a dos modelos anteriores, 5,9 polegadas e resolução Quad HD com 2560X1440 pixels. As câmeras traseira e frontal de 13 e 2 megapixels, respectivamente, eram muito bem aproveitadas pelos usuários.

Seu processador Snapdragon 805 quad core de até 2,7 GHz trabalhava muito bem com memória RAM de 3 GB e armazenamento de 32 GB ou 64 GB.

Nexus 5X e Nexus 6P

Foi em 2015 que a marca de celular Google começou encerrar a linha Nexus. Nesse ano, estreou dois celulares com o Android 6 Marshmallow. O interessante foi que cada uma dessas versões foi responsabilidade de um fabricante diferente.

O Nexus 5X contava com tela de 5,2 polegadas com resolução Full HD de 1920X1080 pixels. As câmeras traseira e frontal de 12,3 e 5 megapixels eram ainda melhores para capturar imagens das mais complexas.

O processador Snapdragon 808 hexa-core de até 1,8 GHz era também superior. A memória RAM de 2 GB e armazenamento de 16 GB ou 32 GB não se diferenciavam muito dos modelos anteriores, mas eram realmente bons.

Já o Nexus 6P se apresentou com mais avanços. A tela maior de 5,7 polegadas com resolução Quad HD de 2560X1440 pixels era suficiente para acompanhar bons vídeos e filmes.

O processador Snapdragon 810 octa-core de até 2 GHz se mostrou altamente competente e a memória RAM de 3 GB e armazenamento de até 128 GB, mais que adequados.

Contudo, nenhum desses dois modelos da marca de celular Google veio para o Brasil.

Marca de celular Google: Pixel e Google Pixel XL

Foi com esses modelos que a marca de celular Google iniciou nova linha de dispositivos. Dessa vez, o próprio Google se incumbiu do lançamento e da comercialização das unidades. Ambos foram fabricados com Android 9 Pie.

Mas, semelhante aos dois modelos acima, estes também não chegaram ao Brasil. Foram construídos com o Android 7 Nougat. A câmera de 12,3 megapixels recebeu classificação excelente dos usuários e dos especialistas. Tanto que foi figurada como “a melhor câmera já vista em um telefone”.

O processador Snapdragon 821 octa-core de até 1,6 GHz e memória RAM de 4 GB também nada deixaram dúvidas quanto à qualidade e velocidade. A tela do Google Pixel se mostrou bem melhor que o Google Pixel XL, pois tinha 5 polegadas com resolução Full HD. A bateria era igualmente melhor.

Google Pixel 2 e Google Pixel 2 XL

Houve ainda dois modelos antes do encerramento definitivo da produção da linha Nexus da marca de celular Google. Assim, o Google Pixel 2 e o Google Pixel 2 XL deram sequência à nova linha de celulares.

Os dois modelos já contam com o Android 9 Pie. A câmera de 12,2 megapixels conseguiu atender muito bem as esperanças do público por sua funcionalidade quase perfeita. Eles chegaram ao mercado em outubro de 2017. Entretanto, não há previsão de chegada no Brasil.

O processador Snapdragon 835 agradou em cheio o sistema operacional e também o público. A memória RAM de 4 GB e armazenamento de 64 GB ou 128 GB foram igualmente aprovados pelo mercado.

A bateria e a tela são os dois diferenciais entre os dois modelos. O Google Pixel 2 tem display de 5 polegadas com resolução Full HD de 1920X1080 pixels e bateria de 2.700 mAh. O Google Pixel 2 XL é um pouco maior, com 6 polegadas de tela em definição Quad HD+ com 2880X1440 pixels e bateria de 3.520 mAh.

Google Pixel 3 e Google Pixel XL 3

O Google Pixel 3 e o Google Pixel 3 XL foram anunciados em outubro de 2018. A qualidade da câmera permaneceu como atração especial nesses modelos da marca de celular Google. Infelizmente não há notícias de quando chegarão ao Brasil.

O processador dos dois modelos foi considerado bem avançados e até hoje permanece no ranking dos melhores. Trata-se do Snapdragon 845 – o mesmo do Galaxy S9 e LG G7. A memória RAM de 4 GB e armazenamento de 64 GB ou 128 GB são bem adequados ao processador.

O modelo nas duas versões tem o notch. E a câmera frontal é outro fator diferencial, que conta com dois sensores de 8 megapixels. Tanto o Google Pixel 3 quanto o Google Pixel 3 XL dispõem de telas maiores, isto é, de 5,5 e 6,3 polegadas com as mesmas resoluções dos modelos anteriores.

Google Ara, o PhoneBlocks da marca de celular Google

produtos da marca de celular google
A marca de celular Google lança vários produtos no merado.

Em 2014, o exército americano deixou escapar um zum-zum sobre seu interesse num projeto da marca de celular Google. Não se sabe até que ponto a empresa americana teve responsabilidade sobre esse zum-zum. O fato é que serviu para aumentar as expectativas do mercado.

O projeto recebeu o nome de Ara e tratava-se do sonhado, esperado e já admirado PhoneBlock. Ou seja, um celular construído por meio de módulos. Sob outro ponto de vista, o Ara era uma espécie de quebra-cabeças.

Interessantíssimo: ou seja, o proprietário poderia adquirir “blocos de funcionalidades” e ir montando o aparelho a seu bel-prazer. Afinal, cada bloco tem suas próprias funções. Ainda, pode adquirir somente os blocos cuja função interessa.

A marca de celular Google e a realidade aumentada

aparelho da marca de celular google
A marca de celular Google tem sempre novos projetos em mente.

Em janeiro de 2018, a gigante americana comunicou que estava trabalhando num novo projeto. E que seria revolucionário. Bem, se o comunicado partiu da própria empresa, todo o rebuliço que causou no mercado já era esperado.

Então, teve início a temporada de especulação:

  • O que seria? Um celular que prepara suco de laranja
  • O que o aparelho conseguiria? Manter a bateria por mais de um mês sem carregamento
  • Como seria o visual? Invisível

Em verdade, o novo projeto trabalharia com um conceito já conhecido: realidade aumentada. Ou seja, A marca de celular Google estava desenvolvendo um programa chamado Article. Ele permitiria que usuários interagissem com conteúdos de realidade aumentada por meio de navegadores

Ainda, não haveria necessidade de instalar outro programa ou aplicativo nem no desktop nem nos dispositivos móveis. A empresa fez uma demonstração por meio de gifs mostrando um astronauta na tela se comportando conforme o usuário vai movimentando o aparelho. A câmera captura os objetos dos ambientes. A personagem na tela, então, se senta no sofá, liga a TV etc.

Bem, talvez algumas cenas na apresentação da empresa sejam algo próximo da irrealidade por enquanto. Mas somente por enquanto.

A marca de celular Google, a Meizu e o Android Go

O Android Go ganhou cada vez mais destaque ao longo dos últimos meses. Afinal, a expectativa geral era ter boa experiência com o sistema operacional da marca de celular Google sem apoio de hardware pesado.

Havia algumas empresas interessadas no projeto. Entretanto, a chinesa Meizu levou as tratativas até onde o Google pretendia. Agora, isso se tornará realidade, com direito a confirmação de executivo da empresa.

Ele anunciou em meio a risos que mostravam a satisfação da empresa na parceria com a gigante americana. Afinal, o smartphone será o primeiro da Meizu com o sistema Android.

O Android Go é projeto antigo do Google. Ele propõe experiência mais tranquila, mais suave. É, em verdade, uma atualização do sistema operacional. Ele é desenvolvido pra ser aplicado em aparelhos mais modestos, por exemplo, aqueles com 512 MB a 1 GB de memória RAM. Esses são, claro, mais baratos e isso pode aumentar ainda mais o alcance da marca de celular Google.

Melhoria no Google Assistente com a Positivo

aparelho da marca de celular google
A marca de celular Google não vai parar de inovar.

Em junho de 2019, a marca de celular Google apresentou novidades diretamente ao mercado brasileiro no evento Google For Brasil. A empresa já tinha lançado seu Google Assistente há dois anos. Então, na ocasião, apresentou versões melhoradas.

No evento, apresentou um celular básico com o assistente integrado e produtos para casa em parceria com a Positivo. Marvin Chow, vice-presidente de marketing do Google, disse que a voz tem sido o elemento que vai aumentar o poder da empresa em ajudar as pessoas a “fazer coisas”além de ajudá-las a “encontrar coisas”.

O modelo Positivo P7OS é um celular básico. Contudo, possui botão dedicado ao Google Assistente. É assim que o usuário executa o sistema operacional KaiOS. Aliás, é o primeiro smartphone do Brasil com esse software.

O mesmo assistente pessoal do Google está integrado a alguns produtos da Positivo. Trata-se de elementos que vão acessar mais facilmente a chamada “Casa Inteligente”. Assim, lâmpadas, plugues para tomada, câmeras, sensores e alarme, dentre outros, vão ser acionados pelo sistema.

Então é isso. A marca de celular Google tem o estigma de um gigante. Você já teve um modelo da empresa? Já usou o Google Assistente? Fale pra gente. Use a área de comentários abaixo.

RESPONDER