Marca de Celular T-Mobile

marca de celular T-Mobile logo

Você conhece a marca de celular T-Mobile? Não? Os americanos conhecem. E os alemães também. E boa parte da Europa igualmente. Então, você perguntaria: “e eu com isso”?

A T-Mobile é uma empresa alemã do setor de celulares. As suas maiores concorrentes são as operadoras AT&T e Verizon, especialmente a Verizon. E ambas são dos EUA. É a única operadora na América que produz uma linha de aparelhos celulares além de vender.

Bem, talvez isso já seja suficiente para mostrar que isso tem muito a ver com você, pois a marca de celular T-Mobile pode chegar ao Brasil em algum tempo. Se isso realmente acontecer, você já terá informações consistentes para decidir pela aquisição de um de seus modelos.

História da marca de celular T-Mobile

aparelho da marca de celular T-Mobile
A marca de celular T-Mobile foi primeiro fundada na Alemanha.

A razão social é T-Mobile International AG. Trata-se de uma subsidiária da Deutsche Telekom nas atividades de telecomunicações fundada em 1990 em Bonn, Alemanha. A marca de celular T-Mobile atua na Europa, Estados Unidos, Porto Rico, Ilhas Virgens Americanas.

A quantidade de colaboradores da empresa chegou a 44 mil. Não à toa, a marca alemã conquistou a América do Sul, Central e do Norte. E, também não à toa, a empresa tem aproveitado o caráter de revolução que a telefonia móvel tem representado para o mundo.

Então, quando se fala em prestadores de serviços de telefonia móvel, não se pode esquecer um dos grandes, a T-Mobile.

A Deutsche Telekom é empresa que vale mais de 70.000 milhões de dólares. Ela anteriormente possuía a holding T-Mobile International AG. Contudo, perdeu relevância por conta de uma jogada mal elaborada. Talvez a única das equipes gestoras ao longo de sua existência.

O início da marca de celular T-Mobile

Os primeiros serviços de comunicações móveis da Alemanha tinham a marca da radiotelefonia estatal, o Deutsche Bundespost. Foi assim que nasceu a primeira geração analógica. Isso foi em 1985.

Julho de 1989 foi um mês especial para a empresa, pois o Estado da Alemanha Ocidental readequou a Deutsche Bundespost. Assim, consolidou os serviços em uma nova unidade. E deu novo nome: Deutsche Bundespost Telekom. Três anos depois, começou a operar a primeira rede de telefonia móvel digital do país.

Um novo serviço também passou a ser oferecido em uma nova faixa de frequência GSM. Tinha potência de 900 MHz. O nome oficial desse serviço era “D-Netz”, mas a Telekom deu nova roupagem comercial e chamou de “D1”.

No frigir dos ovos, a estratégia deu à companhia dois monopólios de telefonia móvel na época: C-Tel (rede analógica) e D1 (rede digital).

O país tinha grandes esperanças na privatização e na competição entre empresas. Assim, cedeu licença de operação a outras companhias estrangeiras. De certa maneira, o governo alemão estava certo. A concorrência foi ótima para todos, especialmente para os clientes.

Reformulação interna na marca de celular T-Mobile

Ainda com ação de estímulo do governo, a T-Mobile alterou seu nome para Deutsche Telekom AG em janeiro de 1995. Era parte da segunda fase da reforma nacional das comunicações.

Contudo, as ações de alheamento estratégico pensado e levado a efeito pelo Estado alemão em relação à telefonia pública continuou até novembro do ano seguinte. Nesse ano, a DT – ou Deutsche Telekom AG – foi privatizada em 100% de suas operações.

No processo, recebeu a maior oferta pública inicial que uma empresa europeia tinha recebido até então. A partir desse mesmo ano, a DT lançou sua estratégia de marketing e passou a marcar todas as suas subsidiárias com o prefixo “T”.

Nova estratégia de marketing da marca de celular T-Mobile

Foi em 2002 que a DT intensificou e firmou suas operações internacionais. O nome T-Mobil já estava consolidado na língua anglo-saxônica, passando a ser conhecida como “T-Mobile”. Isso foi um dos braços de um plano de internacionalização da marca empreendido pelos gestores analistas da empresa.

Com tal plano, as equipes gestoras da marca de celular T-Mobile não tiveram qualquer parcimônia em imitar a postura empresarial empresa de telefonia dos Estados Unidos AT & T. E, por “parcimônia”, os analistas de mercado quiseram dizer “vergonha corporativa”.

Três anos depois, a Deutsche Telekom alterou novamente sua estrutura e assumiu uma configuração mais regional em todos os países onde esteve presente. Assim, novamente, copiava uma postura alheia: a de empresas que abrem escritórios na Ásia.

Duas grandes sacadas

Já em 2007, a empresa promoveu uma das maiores realizações internacionais ao fundir as redes 3G e HSDPA de alta velocidade operadas pela T-Mobile no Reino Unido com uma empresa conhecida como “3”. Isso deixou a T-Mobile e a “3” com a administração conjunta da maior rede de telefonia móvel HSDPA no país.

Já em 2009, a Deutsche Telekom e Orange Télécom, que é companhia telefônica francesa, anunciaram negociações já avançadas para nova fusão. Dessa vez, o alvo foram operações no Reino Unido e, assim, criariam a maior operadora de telefonia móvel naquele país.

A consolidação da ideia das duas empresas foi aprovada no ano seguinte, 2009, pela Comissão Europeia. Entretanto, havia uma condição: a nova empresa deveria vender 25% de seus direitos na faixa de rádio de 1800 MHz.

A fusão foi concluída no mês seguinte. Foi também informado que o nome da nova empresa seria “EE”. A Orange e a T-Mobile permaneceram como marcas distintas naquele mercado até 2015.

Marca de celular T-Mobile nos EUA

aparelho da marca de ceular T-Mobile
A marca de celular T-Mobile tem crescido nso EUA.

É estranho que os Estados Unidos sejam a grande potência mundial reconhecida, que promove a tecnologia em todos os seus degraus, mas não seja o maior mercado de telefonia móvel.

Apesar disso, a T-Mobile e diversas outras grandes empresas do setor apostam fortemente naquele mercado. E isso acontece mesmo que os mercados de seus próprios países sejam postos em segundo plano. Esta é talvez a principal estratégia de negócios que a T-Mobile deve ter nas próximas décadas, que parece ser lucrativa para a empresa.

A T-Mobile passou a disponibilizar mensagens, serviços de voz e dados sem fio nos Estados Unidos, nas Ilhas Virgens dos EUA e em Porto Rico. Trabalha sob as marcas T-Mobile, MetroPCS e GoSmart Mobile. A penetração de suas marcas é tão expressiva que opera a terceira maior rede sem fio do país.

Ou seja, isso significa participação de mais de 65,5 milhões de clientes. Com isso, a empresa tem uma receita anual de US $ 32 bilhões. Dessa maneira, a marca de celulasr T-Mobile passou a compor a lista dos principais provedores de serviços sem fio para lojas de varejo pelo quarto ano consecutivo.

A lista foi organizada, produzida e publicada em 2011 pela JD Power and Associates , uma empresa global de serviços de informações de marketing.

A consultoria ainda classificou a marca de celular T-Mobile como mais presente em atendimento ao cliente pelo segundo ano consecutivo. E isso não é para menos, já que a rede da marca possui cobertura que atinge 98% do território dos EUA.

Incomodando americanos

A AT &T, uma das duas maiores concorrentes da marca de celular T-Mobile em solo americano, se viu frustrada em certa estratégia. Tentou comprar a empresa alemã oferecendo 39.000 milhões em ações e dinheiro. Contudo, a oferta foi retirada depois de enfrentar obstáculos legais e regulamentares significativos.

Além disso, houve forte resistência do governo dos EUA em relação à negociação. Depois disso, a própria A T-Mobile USA, Inc. comunicou sua intenção de se fundir com a MetroPCS Communications, Inc.

Com isso, a marca de celular T-Mobile melhoraria sua competitividade com outros operadores nacionais. O acordo foi aprovado pelo Departamento de Justiça e pela Comissão Federal de Comunicações em março de 2013.

Patrocínio oferecidos pela marca de celular T-Mobile

A empresa se caracteriza por se promover por meio de ofertas de patrocínios a diversos polos das sociedades. Em especial sua subsidiária nos Estados Unidos, que detém os direitos de nome da T-Mobile Arena na Las Vegas Strip.

  • Mantém sua própria equipe de ciclismo, a equipe da equipe HTC-High Road
  • A Deutsche Telekom patrocinou a equipe do clube alemão da Bundesliga, o FC Bayern de Munique
  • A T-Mobile foi patrocinadora oficial do West Bromwich Albion, campeão da English Soccer League
  • Também fez associação por patrocínio com clubes da Premier League, Rangers e Celtic
  • Co-patrocinou o Everton com a marca One2One
  • Patrocinou a final da FA Youth Cup de 2002
  • Apoio com patrocínio a equipe do Birmingham City English Club
  • Também foi o fornecedor global de telefonia móvel para o torneio da Copa do Mundo da FIFA 2006 na Alemanha

A T-Mobile é lembrada em alguns jogos da liga mais importante do México por emio de banners. Apesar disso não tem presença naquele país.

Modelos da marca de celular T-Mobile

aparelho da marca de celular T-Mobile
A marca de celular T-Mobile possui alguns modelos de aparelhos fora do Brasil.

Em meados de 2018, especialistas do mercado de celular anunciaram que o OnePlus 6T, novo dispositivo topo de linha da marca chinesa, ganhou um carinho especial entre os fãs. Isso se deu porque causa das novidades introduzidas no modelo.

Um dos principais destaques é o leitor de impressões digitais sob o display de alta velocidade. Ele faz a autenticação em menos de um segundo, além do display com notch em formato de gota.

OnePlus

A marca de celular T-Mobile vai vender o modelo e revelou que o interesse do mercado no aparelho é maior do que o interesse pela série iPhone XS da Apple. Por estratégia, a empresa não divulgou a quantidade de dispositivos vendidos.

O aparelho tem tela de 6,41 polegadas com painel Amoled. É protegida por sistema Gorilla Glass 6 e o notch é do tipo gota. A resolução é boa: Full HD+ de 2280 X 1080 pixels com proporção 19,5:9. O chipset Snapdragon 845 com processador de oito núcleos a 2,8 GHz trabalha muito bem.

Seus 6 gigabytes ou 8 gigabytes de RAM opera excelentemente bem com os 128 gigabytes ou 256 gigabytes de memória interna. Os sistemas operacionais tem operacionalidade interessante com o OxygenOS 9.0 rodando sobre o Android 9.0 Pie.

A câmera frontal de 16 MP com abertura f/2.0 e a traseira dupla de 16 MP + 20 MP com abertura de f/1.7 capturam imagens de maneira quase profissional. Quanto à bateria, tem 3700 mAh com suporte ao “fast charge”.

T-Mobile Concord II

Em meio de 2014, a empresa tinha lançado o modelo T-Mobile Concord II. Trata-se celular Android 4.3 Jelly Bean com processador mediano de 1.2Ghz Dual-Core. O dispositivo tem uma entrada para cartão SIM e capacidade para download máximo até 21 Mbps para navegação na internet.

A boa conectividade inclui Bluetooth Versão 4.0 com A2DP, WiFi 802.11 b/g/n (2.4Ghz). Não possui conexão NFC. Quando às dimensões, são interessantes, pois tem 125 gramas de peso incluindo a bateria, 65 milímetros de largura e 126 milímetros de comprimento. A espessura de 11 milímetros permite bom manuseio.

Então é isso. Não há modelos da marca de celular T-Mobile nas prateleiras das lojas brasileiras. Entretanto, é possível encontrar unidades em sistemas de importação ou ocasionalmente quando algum proprietário que tenha importado um exemplar esteja querendo vender sua unidade. Nesse caso, é bom aproveitar a oportunidade.

Caso você tenha algum experiência ou conheça alguém que tenha tido um modelo da marca, seria realmente interessante que você deixasse registrado na área de comentários logo abaixo.

RESPONDER