Marca de celular ZTE

marca de celular zte

A marca de celular ZTE passou por diversos problemas até chegar aonde chegou. Bem, isso até parece trecho de entrevista de jogador de futebol que sofreu muito na vida para se destacar no cenário esportivo. De qualquer maneira, a ZTE é marca chinesa com enorme experiência na bagagem. Experiência em problemas, a gente quer dizer.

E, claro, isso tem feito que seus produtos carreguem os resultados de grandes empresas que rebuscam o mercado. E de todas as maneiras, de forma que seus clientes finais tenham em mão produtos realmente interessante.

Você sabia, por exemplo, que a marca de celular ZTE foi (e ainda é) marginalizada por ter relações fortes com o governo chinês? Mas que, apesar disso, conseguiu lançar que dez modelos de uma só vez no mundo?

Pois então! Veja abaixo um pouco de sua história, a maneira como se relaciona com seu mercado e alguns de seus produtos. Com toda certeza, essas informações são úteis para o caso de você decidir adquirir um dos modelos da marca de celular ZTE.

Marca de celular ZTE: a história

A marca de celular ZTE é chinesa.
A marca de celular ZTE é chinesa.

A ZTE é empresa chinesa e, de certa maneira, isso não surpreende muito. Afinal, as empresas daquele país que atuam na área de comunicação já estão espalhadas pelo mundo. Especialmente as voltadas para a produção de smartphone e as tecnologias desse ramo.

A empresa também fabrica e assessora com oferta de serviços em soluções de rede:

  • W-CDMA
  • CDMA
  • CDMA2000
  • GSM
  • TD-SCDMA
  • TDD-LTE
  • FDD-LTE
  • IMS
  • NGN
  • PSTN
  • SDH
  • ADSL
  • IPTV

E serviços agregados. Além, claro de seus dispositivos móveis já conhecidos mundialmente. Sua sede está na localidade de Shenzhen, região de Guangdong.

A marca de celular ZTE começou suas operações em 1985. Isso significa que, em pouco mais de 30 anos, alcançou sucesso em suas investidas como quase nenhuma outra empresa conseguiu. É a segunda maior empresa de telecomunicações de seu país.

Ela foi criada inicialmente como Zhongxing Semiconductor Co. Ltd. Contudo, um grupo de investidores associados ao Ministério da Indústria Aeroespacial da China incorporou a empresa por muitos milhões de dólares. Aliás, esse fato acabou marcando a empresa de maneira não muito positiva, como você vai ver no tópico “Problemas político-diplomáticos” mais abaixo.

Em verdade, a empresa foi uma das primeiras chinesas a oferecer equipamentos em âmbito global desde 1996. Suas atividades absorvem grande quantidade de mão de obra, chegando a empregar mais de 60.000 funcionários em mais de 100 filiais ao redor do mundo.

Diversificação: isto é a marca de celular ZTE

Suas ações estão cotadas na Bolsa de Hong Kong e na Bolsa de Shenzhen. Constantemente, os operadores de negócios das bolsas lançam mão de papéis da empresa para solidificar negociações, pois tais papéis se mostram sempre firmes.

Com a força da empresa no mercado chinês e mundial, o Ministério da Informação da Indústria da China se rendeu a ela. Concedeu autorização para que a marca de celular ZTE operasse e negociasse seus dispositivos no sistema 3G. Isso foi em março de 2007.

Nesse contexto todo de crescimento, a empresa foi considerada o sexto maior fabricante mundial de aparelhos celulares já em 2008. Isto é, no ano seguinte ao que foi autorizada a operar o sistema.

Ao longo de captação de suas experiências nos diversos mercados mundiais, a empresa descobriu uma estratégia certeira: diversificação. Assim, opera em três laços de negócios:

  • Quase 55% de seus negócios vêm de redes de operadoras
  • Os terminais representam 30%
  • As telecomunicações em si respondem por pouco menos de 20% das receitas da empresa

Nesse nicho de telecomunicações, no qual está incluída a marca de celular ZTE, a empresa trabalha com unidades sem fio, acesso remoto, transmissão óptica e dados.

Contudo, a filosofia de diversificação de negócios vai além. A ZTE disponibiliza serviços agregados que atraem cada vez mais clientes corporativos e finais. É o caso, por exemplo, de vídeo sob demanda e streaming de mídia.

Problemas político-diplomáticos

Se Shakespeare fosse vivo, dirigiria sua famosíssima noção sobre a realidade expressa em “há muito mais mistérios entre o Céu e a Terra do que imagina nossa vã filosofia” para o mundo corporativo. Há muito mais coisas nas disputas dos mercados do que sabe nossa rasa visão geral.

Nesse cenário, não foi apenas a outra empresa chinesa Huawei que teve problemas no mercado americano. E problemas que surtiram efeitos negativos para ambas – Huawei e ZTE – no mundo inteiro.

A marca de celular ZTE recebeu fortíssimas críticas dos concorrentes americanos. Isso resultou em denúncias em órgãos internacionais. Segundo elas, a empresa estava intimamente associada ao governo chinês para permitir vigilância não autorizada e outros serviços mal vistos nas relações internacionais.

Assim, em 2017, a marca de celular ZTE acabou sendo obrigada a pagar vultosa multa por ações consideradas ilegais. Ela teria possibilitado exportação de tecnologia dos EUA para dois países inimigos diplomáticos dos americanos: Irã e Coréia do Norte. Isso foi confirmado como violações de sanções econômicas.

O resultado disso tudo só não foi catastrófico para a marca de celular ZTE por conta de suas boas relações europeias. Aquele mercado manteve o nível de fluxo de receitas. Afinal, no ano seguinte ao imbróglio acima, o Departamento de Comércio dos EUA atingiu a empresa diretamente.

Isto é, proibiu exportação de produtos semicondutores por parte de qualquer empresa americana para a ZTE por sete anos. Assim, até julho de 2018, a empresa não pôde negociar nada com os americanos. E só recebeu autorização para voltar a fazê-lo depois que substituiu sua alta administração, além de pagar multas adicionais.

Novas intenções e busca por inovação

A marca de celular ZTE está sempre em busca de inovações.
A marca de celular ZTE está sempre em busca de inovações.

A empresa ZTE confirmou, em meados deste ano (2019), que anda pesquisando estrutura de smartphones com dois furos na tela. Aliás, a ideia já está até mesmo com registro de patente determinado. Com isso, a ela deixar de lado o chamado notch.

Para quem não sabe: notch é a pequena área no topo da tela em que os fabricantes instalam as câmeras e alguns sensores.

Assim, as expectativas dos consumidores em relação a câmeras frontais mais capacitadas, com dois captadores de imagem, podem ser realidade em breve. Pelo menos é o que mostram os desenhos apresentados pela empresa no órgão de registro de patentes.

O mesmo desenho, aliás, mostra que a câmera traseira também será dupla. Contudo, o restante da estrutura se apresenta sem novidades. Bem, é isso que o rascunho registrado mostra, mas a gente nunca sabe o que vai na cabeça dos engenheiros da marca de celular ZTE.

Modelos da marca de celular ZTE

A marca de ceular ZTE possui vários modelos de aparelhso diferentes.
A marca de ceular ZTE possui vários modelos de aparelhso diferentes.

Ao que parece, a empresa não abandonou a intenção de diversificar seus produtos. Ela pretende mesmo avançar com ofertas de unidades de ponta. Para isso, não tem se mantido presa a entraves e dificuldades para conseguir seus intentos.

Assim, em 2012, a marca de celular ZTE participou do Mobile World Congress e confirmou lançamento de sete modelos. Tudo de uma vez. Como se fosse um soco no estômago dos concorrentes.

Afinal, de uma tacada só, a empresa pretendeu chegar aos gostos mais diferentes dos clientes finais. Ou seja: lançaria telefones sofisticados e básicos, passando por praticamente todas as categorias.

Naquele esplêndido cenário, a marca de celular ZTE apresentou protótipos – já em fase final – de três unidades no campo dos mid-end, dois smartphones high-end e dois low-end. E ainda: alguns usando o sistema operacional Android e outros, o Windows Phone.

Para quem não sabe: smartphones low-end, mid-end e high-end são respectivamente os chamados:

  • Celulares de entrada, cuja estrutura e funcionalidades são básicas, especial para quem está se iniciando no mundo da tecnologia
  • Celulares medianos ou intermediários, que são um pouco melhores que os anteriores
  • Finalmente, os top de linha, aqueles cujos valores são estratosféricos porque apresentam as funcionalidades e operacionalidade de última geração

Nubia Red Magic 3

A marca de celular ZTE comunicou que lançaria o Nubia Red Magic 3 em março deste ano (2019), seu smartphone gamer. As especificações preliminares são de modelo de topo de linha, conforme você pode verificar logo abaixo.

Já começa pelo visual, que é cheio de detalhes. E segue até a capacidade para armazenamento de até 256 GB e avança para a ventoinha para resfriamento interno. O sistema operacional é o Red Magic OS 2.0, que é o Android Pie modificado pela ZTE.

Esse modelo se apresenta com Snapdragon 855 da Qualcomm, o que é excelente. Além disso, tem 12 GB de RAM. A tela é superAmoled com 6,65 polegadas, mas a taxa de resolução é que se mostra realmente interessante: varia entre 60 Hz e 90 Hz com resolução de 2340×1080.

A câmera de 48 megapixels consegue gravar vídeos em 8K; a frontal tem 16 megapixels. O interessante para quem gosta de analisar vídeos é sua supercâmera lenta, que apresenta 1920 quadros por segundo.

A bateria desse modelo da marca de celular ZTE mantém o aparelho distante das tomadas por muitas horas. Para você ter ideia, é capaz de possibilitar uma hora de jogo pesado com apenas alguns minutos de carga. Afinal, são 5.000 mAh com carregamento rápido.

Nubia Alpha

Celular ou relógio? Qualquer dos dois. Afinal, o Nubia Alpha é mistura de smartphone com spartwatch. Ele fez a festa de muitos admiradores de tecnologia no Mobile World Congress – MWC 2019. O híbrido esteve em fase de pré-venda em abril (2019) na China.

Ele chega ao mercado por mais ou menos 2 mil reais, mas ainda está limitado ao solo chinês. Há poucas opções de cores, pelo menos por enquanto. Porém, para infelicidade de muitos, essa versão vem apenas com 4G, mas em breve haverá outra com com WiFi e Bluetooth.

As especificações técnicas são interessantes para um híbrido, apesar de não agradar quem já está acostumado com celulares em si. A tela de 4 polegadas é bem estreita, mas é dobrável em torno do pulso de maneira que se mostra bem operacional.

Mesmo porque – e isso é bem legal -, a marca de celular ZTE implantou captura de gestos. Dessa maneira, o usuário nem precisa tocar na tela mesmo com as facilidades de operacionalidade mencionadas acima.

Seu chipset Snapdragon 2100 da Qualcomm é moderado. Além disso, o 1 GB de RAM e 8 GB de espaço de armazenamento não é agradável para usuários de smartphones tradicionais. A versão do sistema operacional foi criada especificamente para ele e, portanto, não contém a “inteligência interna” de um sistema operacional Android, por exemplo.

Sua bateria se carrega por processo magnético rápida, mas é ainda não muito operante com seus 500 mAh de capacidade. Ainda assim, a empresa garante que o dispositivo se mantém ativo por até dois dias, pois suas funcionalidades não requerem muita energia.

Axon M

O Axon M foi o primeiro smartphone de duas telas – dobráveis – da empresa. Esse modelo da marca de celular ZTE foi testado por diversos usuários e os resultados parecem ter sido bem satisfatórios. Ele passou por mãos de “desastrados”, foi colocado perto de fogo, recebeu peso etc.

Para você ter uma ideia, a tela Gorilla Glass – aliás, duas telas -, se saiu muito bem até com golpes de material pontiagudo. Já o conjunto de botões físicos são de metal, o que significa que essas áreas podem não ser tão resistentes. Assim, estão sujeitas a ranhuras e riscos em geral.

Quanto ao leitor digital, aguentou bem as ações que, em concorrentes, produzem arranhões horríveis. Nele, o material suportou com heroísmo. Contudo, o revestimento estranhamente é feito de plástico. Portanto, não se pode ter esperança de muita resistência.

Um problema, ainda que contornável, se mostra quando o aparelho está aberto (lembre-se de que suas telas são dobráveis). As traseiras das telas permanecem sujeitas a riscos após eventuais quedas. É contornável porque a manuseabilidade da estrutura é adequada, o que torna o uso bem seguro.

Interessante: Por outro lado, algo muito interessante aconteceu nos testes de calor excessivo. Mesmo sob ação direta de chamas – ainda que pequenas, de um isqueiro, por exemplo -, o aparelho se apresentou sem problemas aparentes.

No chamado “exercício de resistência no bolso”, em que o aparelho pode ter sua estrutura entortada quando você se senta, os resultados foram bem atraentes. O corpo do dispositivo é condensado, sólido, bem resistente.

Especificações técnicas do Axon M da marca de celular ZTE

Conforme foi entrevisto acima, o modelo se mostra realmente bom em termos de resistência. Além disso, as telas em touchscreen têm 5.2 polegadas e boa resolução (1920×1080 pixels). A câmera captura imagens de forma excelente em resolução 5120X3840 pixels com 20 megapixels.

Quanto à gravação de vídeos, o formato 4K permite cenas em resolução de 3840X2160 pixels. Com um pouco de conhecimento técnico, é possível até mesmo fazer vídeos profissionais.

Seus 64 GB para armazenamento de arquivos é ainda expansível. O sistema operacional do modelo é Android 7.1.2 Nougat. As dimensões são também atraentes, com 150.8mmX71.6mmX12.1 mm. O peso é excessivo para o padrão atual, mas se lembre de que ele vai com duas telas.

A operação de transferência de dados se dá pelo sistema LTE 4G, o que também oferece grande experiência em navegação virtual. A conectividade Wi-fi e GPS também recebeu padrão de excelência. Possui ainda leitor multimídia, videoconferência e bluetooth.

Então, é isso. Você já teve uma unidade da marca de celular ZTE? O que acha de dizer pra gente como foi sua experiência? Registre na área de comentários abaixo.

RESPONDER