Memória RAM: O que é e como acessar e aumentar o espaço no celular

memória RAM

Quantas vezes você já ouviu alguém dizer que comprou um smartphone com sei lá quantos GB de memória RAM para armazenar fotos, vídeos, etca!?

A maioria dos admiradores e consumidores de tecnologia de comunicação permanece atenta aos avanços na área. Aguardam por meses a fio o lançamento do modelo “X” com o tal avançadíssimo processador “Y” e memória RAM de tantos gigabytes de capacidade. Porém, boa parte dessa maioria nem sequer sabe para que serve o processador e muito menos a memória RAM.

Não é o seu caso, claro – a gente sabe disso. Então, envie o link deste artigo para aquele seu amigo que cometeu o mesmo equívoco de interpretação acima: achar que memória RAM serve para armazenar arquivos.

Ao ler este artigo, seu amigo vai encontrar uma analogia entre RAM/ROM/Processador e uma pizzaria para entender exatamente como tudo funciona.

Memória RAM do smartphone

Quando aquele seu amigo entra numa revendedora de smartphone, acaba recebendo uma enxurrada de informações do atendente a respeito dos diversos modelos. Via de regra, seu amigo se sente meio desconfortável em questionar algumas delas. Dessa maneira, sai da loja meio impressionado com sua própria capacidade de mostrar conhecimento.

Entretanto, sai de lá também com um aparelho que quase certamente não vai ser o adequado. Pode ser muito para uso diário ou pouco para uso profissional. É o que normalmente acontece com informações sobre a memória RAM.

RAM é abreviação de Random Access Memory. Em bom português, memória de acesso aleatório. Ao longo deste artigo, seu amigo vai assimilar melhor esse conceito. Entretanto, percebe-se que o nome é produto do tipo de funcionamento da memória RAM, pois o programa que a compõe apanha dados de forma randômica, ou seja, aleatória. Não importa onde esteja.

Memória RAM X memória ROM

Seu amigo também pode confundir a ideia de memória RAM com memória ROM. Porém, há diferença gritantes entre ambos.

A memória RAM busca dados para trabalhar enquanto o equipamento estiver ligado. No caso do celular, toda vez que você abre um aplicativo, são acionados dois sistemas internos: o processador e a memória RAM. O primeiro dá o start no aplicativo e o faz entender o que você pretende com ele; já a RAM o mantém trabalhando encontrando as operações e oferecendo os resultados dela.

Ou seja, a memória RAM associa dados e instruções que o processador vai usar para responder à funcionalidade acionada pelo seu amigo. Nesse cenário, é fácil entender, por exemplo, que memória RAM e o processador trabalham em comunhão. (A gente vai falar mais sobre processador logo abaixo.)

Entretanto, uma vez que seu smartphone seja desligado, a RAM também se desliga. É por isso que, via de regra, os aplicativos esperam que seu amigo salve seu trabalho ou sugerem que o faça.

A memória ROM, ao contrário, é permanente e nada aleatória. Trata-se do espaço do HD onde estão gravados os programas que fazem o dispositivo funcionar. Seja ele smartphone, notebook, PC, tablet etc. Aliás, nada do que está lá pode ser modificado; por isso, é permanente.

Memória RAM X memória de armazenamento

Outra confusãozinha comum se relaciona à capacidade de armazenamento. Aliás, é a confusão que a personagem fictícia do início deste artigo fez. Como a gente já destacou bastante, a memória RAM é aleatória e temporária. Se faltar energia no ambiente/bateria ou se o aparelho for desligado, ela “esquece” tudo.

Já a memória de armazenamento é constante e permanente. Ou seja, é o restante do espaço do HD (hard disk) em que todos os arquivos são gravados: vídeos, textos, áudios, slides, imagens, programas etc.

Por outro lado, a diferença entre a memória de armazenamento e memória ROM é que, na primeira, os dados são manuseáveis, ou seja, podem ser gravados, deletados, editados; já na ROM, não, pois ali estão os programas inicializadores do sistema.

Memória RAM X processador: uma analogia com a pizzaria

A gente mencionou o processador acima. Para que seu amigo assimile bem a ideia de memória RAM, é bom saber o que é processador. Afinal, ambos são interdependentes. E a gente falou também que a RAM trabalha com os dados ativos e os leva ao processador para que este responda com a operação solicitada.

Assim, imagina-se uma pizzaria. Nela, há a sala de forno e a sala de ingredientes. Há também os pizzaiolos e os auxiliares. Para que as pizzas saiam rapidamente e com qualidade, a quantidade de auxiliares deve ser compatível com a de pizzaiolos

Ou seja, não adianta haver muitos auxiliares para um pizzaiolo nem vários pizzaiolos com somente um auxiliar. No primeiro caso, o pizzaiolo vai ser sufocado com tantos ingredientes levados pelos auxiliares; no segundo caso, o auxiliar não vai conseguir atender a toda a demanda dos pizzaiolos.

Então, convertendo para o tema de nosso artigo:

  • Sala de forno (fogo, combustível, grelha etc.) = memória ROM, isto é, nada ali pode ser alterado
  • Pizzaiolo = processador, isto é, quanto mais rápido, mais eficazmente a pizza é produzida e com melhor qualidade
  • Auxiliares = memória RAM cuja eficiência precisa ser compatível com a do pizzaiolo (processador)
  • Ingredientes = operações/funcionalidades que, por sua vez, são trabalhadas pelos auxiliares/RAM

Mais da memória RAM

Claramente, é perceptível que a memória RAM é sempre menor que a memória de armazenamento. Afinal, quantidade de dados que precisam ser manuseados é bem menor que a quantidade de dados fixos.

Então, a evolução da tecnologia permitiu – na verdade, sempre buscou – aumento da capacidade da memória RAM nos smartphones. Novos tipos de peças e condutores foram descobertos, nova forma de construção de programas foram desenvolvidas.

Se hoje você já se descontenta com seu smartphone de 4GB de memória RAM, imagine como ficava o usuário dos primeiros aparelhos. Eles tinham 32MB de RAM (“MB” e não “GB”). Posteriormente, evoluíram para 128MB.

Dessa maneira, mesmo atualmente, os chamados smartphones de entrada (básicos) têm 2GB ou 4GB. Tais aparelhos são normalmente procurados por usuários menos exigentes, que não precisam instalar muitos aplicativos.

Nesse caso, com 2GB de memória RAM, dá para navegar bem pela internet, assistir a vídeos pequenos, ler textos razoavelmente grandes. Claro, um aparelho com 4GB de memória RAM tem desempenho ainda melhor. Aliás, até pouco tempo, essa capacidade era top de linha dos celulares.

Posteriormente, em 2017, a Motorola lançou seu smartphone com 6GB de RAM e tomou o lugar dos dispositivos anteriores. Porém, não por muito tempo, pois a Razer criou memória RAM de 8GB.

Mas também essa capacidade quase já é passado esquecido. Uma empresa chinesa, a XIaomi, lançou o dispositivo Black Shark com capacidade de 10GB de RAM. E a Lenovo já tem aparelhos com 12GB.

Conseguindo espaço de armazenamento interno

Agora que você (ou melhor, seu amigo) já sabe tudo sobre memória RAM, a gente vai ver abaixo algumas estratégias para aumentar o espaço para armazenamento interno. Ou seja, aquele espaço em que seu amigo grava suas fotos, vídeos, textos, contatos etc.

Bem, é possível que a maioria dos proprietários de smartphone nem precise de mais de 8GB de espaço interno. Afinal, há acessórios para se fazer back-up, ou seja, para os quais você pode transferir arquivos do celular. Assim, libera espaço no smartphone.

Por outro lado, também é grande o número de pessoas que não têm problemas em gastar um pouco mais para não ter o trabalho de ficar transferindo arquivos. Assim, adquirem dispositivos com espaço bem superior.

Então, com 16GB de espaço para arquivos, seu smartphone vai suportar a maior parte das operações. Pode-se baixar mais aplicativos e guardar ainda mais arquivos. Isso representa bom nível de usufruto da capacidade do aparelho.

Certamente, dispositivos com 32GB de armazenamento são ainda mais vantajosos. Pode-se baixar aplicativos mais pesados, ainda que não sejam usados com constância. E, ainda assim, haverá espaço para vídeos mais longos, imagens de alta definição etc.

E a coisa não para por aí. Há ainda smartphones com 64GB. Nesse caso, você não vai precisar apagar arquivos para gravar outros novos nem usar dispositivos de armazenagem externa. Já quanto aos de 128GB nem é necessário argumentar. Há espaço suficiente para trabalhos verdadeiramente profissionais.

Imagine, então, os aparelhos com memória interna de 256GB e até 512GB?! É um verdadeiro “galpão sem limites” para armazenar tudo o que você precisa.

Aplicativos para otimizar memória RAM e espaço interno

Bem, há diversos aplicativos que consomem espaço interno quando são abertos. É o caso das mensagens instantâneas. Cada foto ou vídeo que você abre nelas ocupa espaço em seu smartphone, pois são gravadas no celular. É por isso que, vez ou outra, você encontra fotos que não se lembra de ter baixado.

Ainda, músicas que alguns aplicativos de áudios guardam automaticamente em seu aparelho também são consumidoras de espaço.

Portanto, às vezes, você precisa deletar fotos ou vídeos ou ainda transferir para algum dispositivo externo. Porém, há algumas estratégias para liberar espaço no smartphone.

Claro, elas não “aumentam” a capacidade de armazenamento. Apenas desocupam espaço. Veja.

Transfira arquivos para seu notebook ou PC

É uma das estratégias mais usadas. Você só precisa de muito cuidado para não deletar arquivos importantes do smartphone.

  • Conecte seu celular ao PC/notebook a partir de um cabo adaptável
  • Seu desktop vai reconhecer seu smartphone como uma pasta-raiz
  • Clique sobre essa pasta
  • Explore-a até encontrar os arquivos que pretende transferir para o desktop
  • Proceda a transferência
  • Delete os arquivos da pasta do celular

Deleção de arquivos no celular

Você também pode se livrar daqueles arquivos dispensáveis, como os gravados automaticamente por alguns aplicativos.

  • Encontre a pasta “Configuração” em seu smartphone
  • Localize a funcionalidade “Armazenamento”
  • Se houver opções “interno” e “externo”, clique na primeira
  • A telinha seguinte mostra os diferentes tipos de arquivos: vídeos, áudios, fotos, aplicativos etc.
  • Clique em um deles e toque no nome dos arquivos que você quer deletar
  • Acima na tela, há o ícone de menu. Clique
  • Opte por “deletar” ou “excluir”
  • Repita a operação em relação aos outros tipos, se desejar

Nessas operações, é possível que você encontre a pasta identificada como “Outros”. Trata-se de arquivos de caches (arquivos auxiliares quando você precisa voltar a algum site já visitado) e cookies (arquivos de tratativas da internet). Delete todos.

Aplicativos liberadores de espaço

Há diversos programinhas auxiliares que operam diretamente nos arquivos dispensáveis e na memória RAM. Veja alguns.

Junk Photo & Video Cleaner

Esse aplicativo vai identificar aquelas selfies multiplicadas que seu amigo esqueceu de apagar. Ou seja, clicou várias vezes para fazer uma só selfie para ver depois qual seria a melhor.

Ainda, seu amigo pode ter feito um vídeo de alguma situação que, em princípio, seria interessante. Depois, percebeu que foi perda de tempo, mas não se lembrou de apagar.

Esse aplicativo ajudar a identificar tais arquivos.

É possível programar a guarda dos arquivos escolhidos para deleção por alguns dias. Ou seja, seu amigo tem esse tempo para cancelar a exclusão. Se não fizer nada disso, o aplicativo apaga os arquivos depois desse tempo.

CCleaner e Clean Master

Trata-se de otimizadores de espaço. Esses aplicativos buscam arquivos salvos durante navegação na internet, arquivos temporários etc. Eles identificam, marcam e esperam sua ordem para exclusão.

Já o Clean Master otimiza também a carga da bateria e a memória RAM.

Files GO

É aplicativo desenvolvido diretamente pelo gigante Google. Ele localiza arquivos duplicados, ferramentas/aplicativos e memes sem uso, fotos antigas, dados de cache e especialmente spams.

Aguarde que seu amigo indique quais devem ser deletados.

Disk Usage & Storage Analyzer

É uma espécie de elaborador de mapa de memória. Lista arquivos deletáveis com base na extensão (ou seja, tipo de arquivo) ou por categoria (isto é, modalidade de arquivo, como imagens, APPs etc.).

Assim, você consegue visualizar quais deles estão ocupando espaço e excluir dos desnecessários.

Bem, a gente acha que as informações acima foram suficientes para seu amigo entender o que é memória RAM. De quebra, ainda soube também qual é a função do processador e o que é armazenamento interno.

Porém, é possível que ele ainda tenha alguma dúvida ou tenha curiosidade sobre este tema. Nesse caso, tanto você quanto ele podem deixar suas questões registradas no espaço abaixo destinado a comentários e sugestões.

RESPONDER