Como saber se o smartphone foi infectado

Há muitas notícias correndo sobre o aumento de malwares em aparelhos móveis, principalmente em aparelhos de sistema Android e iOS. A melhor solução ainda é a prevenção, protegendo o seu aparelho com um antivírus eficiente, e estar sempre bem informado e preparado.

Mas nem sempre descobrimos a tempo de salvar o aparelho, quando o mesmo, por ventura, for infectado. O importante será sempre o disgnóstico e a prevenção. Aqui vão algumas dicas que vão lhe ajudar a diagnosticar se seu smartphone foi infectado por algum malware.

1.Baixa vida útil de bateria
Embora a bateria de quase todos os smartphones dure pouco, preste atenção na média de duração da bateria do seu aparelho. Se a bateria do seu aparelho, de uma hora para a outra começou a descarregar muito mais rápido que antes, pode ser que algum aplicativo instalado recentemente tenha incluído um malware no aparelho, que pode estar escondido.

2.Queda de chamadas ou interrupções
Alguns malwares afetam as ligações do seu aparelho causando quedas e interrupções de chamadas. Se você sem sofrendo uma destas alterações com frequência durante as suas ligações, é possível que seu smartphone esteja infectado por um programa “espião”. Entre em contato imediatamente com a sua operadora para verificar problemas em sua região ou rede. Caso não seja constatado nenhuma anormalidade quanto a conexão, é possível que o aparelho tenha sido infectado por uma destas aplicações ou alguém pode estar tentando escutar a sua conversa ou realizar outras atividades suspeitas.

3.Cobranças indevidas ou não identificadas na conta de telefone
Fique atento ao seu plano fixo mensal de envio de mensagens, pois existem malwares que se instalam no aparelho e passam a enviar mensagens de texto SMS para números pré-definidos sem que você tenha conhecimento, deixando uma enorme conta na sua fatura mensal. Embora você possa detectar estas cobranças indevidas ou não identificadas através de um detalhamento da conta, as operadoras não possuem o conhecimento técnico para resolver o problema, pois o malware é desinstalado logo após a ação, e você terá que arcar com o prejuízo sozinho.

4.Consumo exagerado do plano de dados
Um programa mal-intencionado pode também consumir e exceder o seu pacote de dados, capturando informações do usuário a todo o momento e transferindo-os para um local específico, gerando este aumento abusivo no tráfego de dados e aumentando consideravelmente o valor da sua conta telefônica. Atente para a sua média de uso de consumo de dados.

5.Baixo desempenho
Um malware pode interferir no desempenho do aparelho enquanto tenta ler, escrever ou transmitir dados. A queda de desempenho do seu smartphone pode ser mais um sinal de que um vírus ou programa malicioso tenha se instalado. Verifique como está sendo utilizada a memória RAM do seu aparelho, dependendo da informação encontrada, poderá ajudar a revelar a presença do vírus.

Para prevenir seu telefone de ser invadido, verifique atentamente cada permissão que um aplicativo pede no ato do download e instalação. Baixe apenas aplicativos de confiança, diretamente das lojas oficiais de aplicativos da sua fabricante par ao seu sistema. Procure conhecer o desenvolvedor, lendo sobre ele, checando comentários de outros usuários, e visitando se possível, o site oficial do aplicativo para mais informações. (Leia mais sobre isso aqui!)

Caso identifique um programa malicioso, exclua imediatamente o aplicativo, e se mesmo assim o aparelho continuar a apresentar algum dos problemas citados acima, o ideal é reiniciá-lo completamente e restaurar as configurações do padrão de fábrica.

Faça o download de um aplicativo de segurança para que ele monitore o seu smartphone, para que você não venha a ter mais problemas deste tipo. Confira uma lista com os melhores antivírus para seu aparelho.

Responder     Seguir Respostas

Respostas


  1. AndreOliveira

    Quando uma infecção ocorre em um aparelho móvel, quase sempre é com o intuito de roubar as informações das contas do usuário. Mas há também casos em que uma invasão é feita para direcionar custos de chamadas para a fatura da vítima. Todo cuidado é pouco!

    Responder
Gostou? Compartilhe!
Ajude a nossa comunidade receber mais respostas.

Responder