Início » Perguntas »

Apresenta-se a seguir o Código de Seleção de Prestadora (CSP) das Prestadoras de Serviço de Longa Distância Nacional (LDN) e Longa Distância Internacional (LDI) e as operadoras de celular que o recomendam.

Nota: O celular de usuário visitante internacional está dispensado da utilização do CSP podem fazer as chamadas utilizando “+” seguido do código de país ou de área.

** Código descontinuado a partir de 30/06/2012.
A Anatel decidiu em 17/06/2010 que a Oi poderá utilizar o Código 31 em sua área de concessão (Região I do Plano Geral de Outorgas – PGO); e a Brasil Telecom, o Código 14 em sua área (Região II do PGO). O CSP 31 não poderá ser utilizado na Região II e o 14 na Região I. Na região III o grupo poderá escolher um dos dois CSPs para utilizar.

Operadora + CSP Código da Operadora + Operadoras de Celular recomendadas
• Embratel – 21 – Claro
• Intelig** – 23
• Telemar – 31 – Oi
• Brasil Telecom – 14 – BrT Móvel
• Telefonica – 15 – Vivo
• TIM – 41 – Tim
• Oi Oi
• Vivo Vivo
• Claro Claro
• Nextel Nextel
• CTBC – 12 – CTBC Cel.
• GVT – 25
• Transit – 17
• IDT – 26
• Fonar – 13
• Aerotech – 27
• Alpamayo – 28
• T-Leste* – 29
• Epsilon – 19
• Teledados – 34
• Easytone – 35
• Viper* – 38
• GT Group* – 42
• Global Crossing (Impsat) – 45
• BT Communications* – 47
• Plenna – 48
• 51 Brasil – 51
• LinkNET – 52
• Ostara – 53
• Telebit – 54
• Espas – 56
• Stellar – 58
• Nexus – 61
• Hello Brazil – 63
• Redevox – 69
• Dollarphone – 71
• Sermatel – 81
• BBT Brasil – 84
• Falkland – 91
• Amigo – 96
• Alpha – 98
• Cambridge – 49
• CGB VOIP – 65
• Convergia – 32
• DSLI – 36
• E1 Informática – 67
• Hoje – 46
• Itavoice – 57
• Konecta – 89
• Locaweb – 72
• Nebracam – 95
• Neotelecom – 64
• OTS – 62
• Primeira Escolha – 24
• Sercomtel – 43
• Spin – 18
• Trinn – 34
• Viacom – 16
• Vipway – 75

Número inicial por operadora celular em cada estado no Brasil:
ESTADO + DDD + OPERADORAS
• São Paulo – SP de 11 a 19 – Vivo (96 a 99) / Claro (91 a 94) / Tim (81 a 87)
• Rio de Janeiro – RJ / Espírito Santo – ES de 21 a 28 – Vivo (96 a 99) / Claro (91 a 94, 82 a 84 81 a 82) / Oi (86 a 88) / Tim (80 a 83)
• Paraná – PR / Santa Catarina – SC de 41 a 49 – Tim (96 a 99) / Vivo (91 a 94) / Claro (87 a 88) / Brasil Telecom (84 a 85)
• Rio Grande do Sul – RS de 51 a 55 – Vivo (96 a 99) / Claro (91 a 94) / Tim (81 a 82) / Brasil Telecom (84 a 85)
• Minas Gerais – MG de 31 a 38 – Telemig Celular (96 a 99) / Tim (91 a 94) / Oi (86 a 88) / Claro (82 a 84)
• Bahia – BA / Sergipe – SE de 71 a 79 – Vivo (96 a 99) / Tim (91 a 94) / Oi (86 a 88) / Claro (82 a 84)
• Nordeste – NE de 81 a 89 – Tim (96 a 99) / Claro (91 a 94) / Oi (86 a 88) / Vivo (82 a 84)
• Centro Oeste – CO de 61 a 69 – Vivo (96 a 99) / Claro (91 a 94) / Tim (81 a 82)
• Amazonia – AM de 91 a 99 – Amazonia Celular (96 a 99) / Vivo (91 a 94) / Oi (86 a 88) / Tim (80 a 83)


Código Não Geográfico

É um código utilizável em todo o território nacional, que não identifica o seu local de origem. Foram definidas pela Anatel as seguintes séries de códigos não geográficos:

900 – Série destinada ao atendimento de provedores de serviço de valor adicionado, indicando que o usuário originador se responsabiliza pelo pagamento do serviço de telecomunicações utilizado e pelo adicional relativo ao serviço acessado.

800 – Série destinada à condição de prestação do STFC cuja Instituição, à qual o código está designado, se responsabiliza pelo serviço acessado e pelo pagamento do serviço de telecomunicações utilizado, caracterizando uma chamada sem ônus para o usuário originador.

500 – Série destinada ao registro de intenção de doação. A Instituição interessada deve ser declarada de utilidade pública e é ela a responsável pela definição dos valores de doação correspondente a cada código não geográfico utilizado. O valor da doação, correspondente a cada chamada, não deverá ser superior a R$ 30,00 (trinta reais).

300 – Série destinada ao atendimento de provedores de serviço em que o usuário originador se responsabiliza pelo pagamento da chamada.


Numeração Telefônica

O Plano de Numeração é o modo de organização dos números dos serviços de telecomunicações de uso público, no que se refere ao seu formato e estrutura. Consiste em grupos de algarismos os quais contêm elementos usados para identificação de serviços, áreas geográficas, redes e clientes.

Plano de Numeração Atual
O Brasil possui a sua própria numeração telefônica e códigos que valem para todo o território nacional pré-definidos pela Anatel. O atual plano de numeração brasileiro foi desenhado tomando como premissa a arquitetura da rede baseada em comutadores digitais. É um plano do tipo aberto pois admite diversos tipos de marcação com comprimentos de numeração diferentes: Numeração Internacional, Nacional, Número do Assinante.

Estrutura do Número Internacional
Para começar uma ligação internacional deve ser digitado 00. Logo após, de 1 a 3 dígitos são reservados para o código do país de destino (A), seguidos pelo código nacional de destino (B) e logo após o número do assinante (C). Segundo a norma o número Internacional deve conter no máximo 15 dígitos.
exemplo: 00A(A(A))BBBCCCCCCCC (Sem contar com os zeros o restante da numeração não pode ser maior que 15 dígitos).

Estrutura do Número Nacional
O Número Nacional será composto por um Código Nacional de 2 (dois) dígitos e um Número de Assinante de 8 (oito) ou 9 (nove – a mudança para nove dígitos foi realizada por exigência da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), primeiramente nos telefones celulares do DDD 11, aos quais foram acrescentados como pré-fixo o dígito 9) dígitos.

Segundo a norma, o primeiro algarismo do Código Nacional deverá ser diferente de 0 (ZERO), os códigos nacionais designados e os da reserva nacional, a solicitação e designação de códigos nacionais serão regulamentadas pelo Ministério das Comunicações.

Estrutura do Número do assinante
O Número de Assinante deverá ter o comprimento de 8 (OITO) dígitos, obedecendo o formato [XYZW + MCDU]. Na região de DDD 11, telefones móveis deverão ter o comprimento de 9 (NOVE) dígitos, obedecendo o formato [9XYZW + MCDU].


Código de acesso de Usuário

É o número que identifica o assinante ou terminal (Acesso fixo em serviço ou celular). É formado por 8 dígitos (N8+N7+N6+N5+N4+N3+N2+N1). O primeiro número deste código (N8) identifica o serviço ao qual o código está vinculado, tendo a seguinte destinação:

Telefonia Fixa (STFC) – de 2 a 5
Telefonia Fixa (STFC) – 9 para as Bandas A (96 a 99) e B (91 a 94); 8 para as Bandas D e E; 7 Celular e Trunking (Nextel); 6 para as bandas A, B, D e E*.

*Nota: A faixa de numeração com primeiro dígito 6 era utilizada em São Paulo para a telefonia fixa. A Anatel anunciou em 2008 a migração destas faixas de numeração para outras com primeiro dígito 2. As faixas com Digito 6 foram então destinadas a telefonia celular.

Enviado por em 28 de outubro de 2012
Gostou? Compartilhe:


Responder



Não achou? Continue pesquisando

Escreva sua dúvida aqui ↓